Novo malware à solta na rede social Facebook

Novo malware à solta na rede social Facebook

Anda um novo malware à solta na rede social Facebook e muito por causa desta última.

Todos sabemos que a plataforma de chat Facebook Messenger é uma das mais usadas. Para quem ainda não saiba, o Facebook Messenger tem cerca de 1,2 mil milhões de utilizadores ativos mensais e além de estarem disponíveis várias funcionalidades há também alguns perigos.

Investigadores da kaspersky, afirmam que há um novo malware a fazer estragos no Facebook Messenger, já que este malware faz uso de vários domínios (para não ser fácil de monitorizar) e o código é complexo.

Rresumidamente os utilizadores recebem vídeos dos próprios amigos e quando clicam acabam por ser infetados com adware e até spyware capaz de roubar credenciais dos browser. Além disso passam a fazer parte do processo de distribuição massivo deste malware.

A imagem seguinte mostra um exemplo do ataque onde é apresentado um vídeo que foi recebido por um contacto conhecido e que continha a palavra “David Vídeo”, um emoji e um URL encurtado.
Novo malware à solta na rede social Facebook...

Novo malware à solta na rede social Facebook

Clicando na ligação apercebemo-nos tratar-se apenas uma imagem desfocada que linka para o malware/adware.

Novo malware à solta

Para que o utilizador não se aperceba da manhosice, é redirecionado entre vários sites para assim ser feito o tracking dos cookies. Finalmente é questionado se pretende descarregar um ficheiro, que se trata malware/adware, com o nome VideoPlayerSetup_xxx.tal como mostra a imagem seguinte.

Novo malware À solta

Os piratas informáticos pretendem monitorizar os hábitos de navegação dos utilizadores para assim exibir anúncios personalizados e conseguir reverberar dinheiro. Porém, podem também se pretenderem roubar passwords.

Se receberes alguma mensagem deste género desconfia sempre, pois certamente é um esquema destes para ter acesso ao teu computador.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.