Juliana, após pensar em abortar, recebe notícias inesperadas do seu ginecologista…

Juliana, após pensar em abortar, recebe notícias inesperadas do seu ginecologista…

Preocupada, Juliana procurou seu ginecologista.

– Doutor, eu estou com um problema muito sério e preciso da sua ajuda desesperadamente!

Meu bebê não tem um ano e eu estou grávida novamente. Eu não quero outro filho.

Então o médico disse:
– Em que exatamente você quer que eu a ajude?
– Eu quero fazer um aborto!

Depois de pensar por alguns instantes, o médico falou:

– Olha, eu tive uma idéia que me parece melhor e também é menos arriscada.

A mulher sorriu satisfeita.

Então o médico continuou:
– Veja bem, para que você não tenha que tomar conta de dois bebês, vamos matar esse que está nos seus braços. Assim, você poderá descansar até que o outro nasça. Já que vamos matar um dos seus filhos, não importa qual deles. Dizem que os filhos são todos iguais para as mães. Não é mesmo?

E, além do mais, sua vida não correrá risco com procedimentos cirúrgicos, se você escolher esse aí para matarmos.

A mulher ficou horrorizada com as palavras do médico e disse-lhe:
– Que monstruosidade o senhor está me propondo. Matar uma criança é um crime!

O médico respondeu-lhe:
– Eu concordo. Mas eu pensei que isso não fosse problema para você. Eu só estou sugerindo que você troque o filho que será morto.

O médico viu que tinha conseguido esclarecer seu ponto de vista.

E ele a convenceu que não há diferença entre matar uma criança que está nos braços ou uma que está no ventre.

O crime é o mesmo…

Você sabe desde quando Deus te ama? DESDE O VENTRE DA TUA MÃE!

Juliana, após pensar em abortar, recebe notícias inesperadas do seu ginecologista…
Avalie este Artigo

Comments

comments

Deixe o seu comentário